Pactum

O que você precisa saber sobre a declaração de Imposto de Renda 2018

28 de fevereiro de 2018

A Declaração do Imposto de Renda 2018 (DIPF) deve ser entregue a partir de 1º de março pelos contribuintes pessoas físicas que, no ano base de 2017:

• Receberam rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 no ano base de 2017;

• Receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte em valor superior a R$ 40 mil;

• Tiveram ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;

• Tiveram receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 em atividade rural;

• Tinham posse ou propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil em 31.12.2017;

• Passaram à condição de residente no Brasil em qualquer mês do ano passado e nessa condição encontrava-se em 31 de dezembro de 2017

Para elaboração da declaração é aconselhável tem em mãos todos os documentos relativos aos rendimentos e às despesas, tais como:

• Extratos bancários anuais de 2017 (Extrato para Imposto de Renda);

• Comprovantes de rendimentos;

• Escrituras, contrato de compra e venda de imóvel, recibo de compra e venda de veículos, ou de qualquer outro bem adquirido ou vendido em 2017;

• Carnês de INSS de empregada doméstica, com seus respectivos dados;

• Recibos e notas fiscais de médicos, dentistas, fisioterapeutas e outros;

• Pagamentos a instituições de ensino regular;

• Pagamentos à previdência privada e oficial;

• CPF dos dependentes;

• Comprovantes de doações para fins de incentivos fiscais (Fundos da Criança e do Adolescente, Lei Rouanet, Audiovisuais, entre outros).

• Declaração de IRPF 2016/2017.

Para 2018, a DIPF trouxe algumas novidades, das quais podemos destacar:

• Dependentes – Obrigatório informar o CPF para dependentes com 8 anos ou mais, completados até 31/12/2017;

• Bens e Direitos – Passaram a ser exigidas informações detalhadas relativas a alguns bens, tais como, número de registro, área, localização, CNPJ de empresas e/ou instituições financeiras;

• Cálculo do imposto -  “Alíquota efetiva (%)” utilizada na apuração do imposto (disponível no sítio da Receita Federal);

• Pagamento do imposto - o Programa Gerador da Declaração (PGD) permite geração do DARF para pagamento de todas as quotas do imposto, inclusive as em atraso;

• Aplicativo Celular/Tablet - O programa “Meu Imposto de Renda”, disponível no APP (celular/tablet) e e-CAC(computadores) permitirá o preenchimento da DIPF 2018, originais e retificadoras.

A antecipação da entrega da declaração possibilitará a restituição mais rápida do imposto, se for o caso.

Comentários

Até agora não foi feito nenhum comentário, seja o primeiro!

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta pergunta é para o teste se você é um visitante humano e para impedir envios automatizados de Spam.
Image CAPTCHA
Enter the characters shown in the image.

Drupal SEO